domingo, 13 de Abril de 2014

Flores. Ovos. Cor.

Gosto de flores. Dentro e fora de casa. Em vasos, em jarras e no jardim. Nesta altura, mais ainda. Apetece-me encher a casa de primavera. Quando saio da escola, passo no senhor Moisés, a caminho de casa. E compro um ramo colorido. Vou a um quintal muito familiar e, com a autorização do dono, colho jarros e lírios. Do meu jardim, lavanda e boninas. Gosto de chegar a casa com toda esta cor. 
Olho para a charrette que o Manel trouxe do colégio, para nos oferecer como presente de Páscoa. Parece-me perfeita para transportar um molhinho de boninas. Coloco-a na mesa. E ele fica feliz.

 



E assim se compôs uma mesa, à qual este prato de ovos deu um ar bastante pascal. 

Ovos recheados 
com atum e alcaparras


 Ingredientes: 
1 dúzia de ovos 
1 lata de atum
2 colheres (de sopa) de alcaparras, picadas
1 cebola pequena (ou cebola de rama), picada
1 raminho de salsa, picada
6 colheres (de sopa) de maionese
Umas gotas de molho inglês

Preparação:
Cozer os ovos. Cortá-los ao meio, no sentido longitudinal. Com cuidado, retirar as gemas, colocá-las numa taça e reservar as claras. Desfazer as gemas, juntar-lhes o atum, também desfeito, e os restantes ingredientes. Temperar com sal e uma colher de café de paprika fumada. Com as mãos, formar "gemas" e colocá-las nas claras. Polvilhar com paprika fumada.



quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Salada para uma

Gosto destas refeições improvisadas só para mim. A base não varia muito: uma mistura de vegetais, cuja paleta começa no verde pálido, passa pelo verde vibrante e acaba no roxo. Depois, é o que há. Normalmente, queijo (desta vez, cubos de feta), fruta (nesta, morangos), carnes frias (hoje, peito de peru com ervas) e frutos secos (arandos, nesta versão). Juntei beterraba cozida e fatiada e reguei tudo com um vinagrete de chocolate: 1 colher (de sopa) de vinagre balsâmico, 3 colheres (de sopa) de azeite, 1 colher (de chá) de cacau em pó, sal e pimenta.

A acompanhar, pão torrado e um copo de vinho.

 
A ideia do vinagrete balsâmico de chocolate veio de um livrinho intitulado O meu melhor amigo chama-se chocolate, de Emmanuèle Vasseur. Obrigada, Ivone ;)

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Noite de pizza

Gosto daquela azáfama que antecede uma refeição de pizza. Massa a levedar, molho de tomate a fazer, ingredientes que são picados por várias mãos que querem ajudar. Alguém enche copos de vinho, que vão circulando de mão em mão. Todos contribuem. Até o Manel quer participar. E a piada destas noites é que, como somos muitos, serão várias as pizzas, para os vários gostos. Desta vez, arrisquei e fiz uma base diferente: chutney de cebola roxa em vez do tradicional molho de tomate. Achei que a acidez das alcachofras combinaria bem com o adocicado do chutney. Às vezes, engano-me. Desta vez, tive razão. Mais dois ingredientes apenas: uns farrapos de pancetta e uma bola de mozzarella fresca. O forno fez o resto. No fim, umas fotografias rápidas, sem tempo para grandes produções, que os convivas queixavam-se de fome.

Pizza de alcachofras, pancetta e chutney de cebola roxa
Fiz a base de sempre. Sobre esta, dispus umas colheradas deste chutney, alcachofras em conserva, fatias de pancetta e uma bola de mozzarella, desfeita. Levei ao forno e servi, com um copo de vinho tinto.

 

segunda-feira, 31 de Março de 2014

Domingo à noite

No fim de um domingo preguiçoso de uma primavera que não chega, apeteceu um prato quente. Uma sopa colorida e aromática, como que a chamar o verão. Uma sopa de tomate assado, feita com tomates comprados no minimercado mais próximo, produzidos a menos de 5 km de casa. Um creme quente e reconfortante que encerrou bem o meu fim de semana.


Creme de tomate assado



Ingredientes:
1 kg de tomates maduros, cortados em quartos
ervas da Provença q.b.
4 cebolas de rama (ou spring onions ou 1 cebola grande), com a parte verde, picada
3 dentes de alho, picados
2 batatas médias, descascadas e cortadas em cubos
3 cenouras pequenas (já destas :), cortadas em rodelas grossas
1 courgette média, descascada e cortada em rodelas grossas
3 colheres (de sopa) de azeite + um fio para regar o tomate
caldo de legumes q.b. 
1 ovo por pessoa, orégãos e pão torrado, para servir

Num tabuleiro, dispor o tomate, regá-lo com um fio de azeite, polvilhá-lo com ervas da Provença e levá-lo ao forno a 200 graus, cerca de 30 minutos. 
Entretanto, num tacho, colocar o azeite e os legumes e deixar refogar um pouco. Cobrir com o caldo e deixar cozer. Quando os legumes estiverem cozidos, mas ainda rijos, juntar o tomate e os sucos, temperar com sal e pimenta e deixar cozer mais 10 minutos. Triturar tudo e servir, com um ovo escalfado, pão torrado e orégãos. Acompanhar com um copo de tinto. Um belíssimo remate para um domingo frio e recatado.

domingo, 30 de Março de 2014

Primavera?

O calendário diz-nos que estamos na primavera. A estação das temperaturas amenas, dos dias soalheiros e dos pássaros a chilrear. Olho pela janela e acredito estarmos em dezembro ou janeiro. Os pássaros estão escondidos, protegidos do vento no recato de alguma árvore. O sol também, tapado pelas nuvens cinzentas e pesadas. Estou enrolada numa manta, que a temperatura assim o pede. E, para me alegrar, edito as fotos que tirei ontem no jardim. Essas sim, primaveris. Se formos otimistas, e procurarmos bem, os sinais estão lá: a buganvília e a verbena estão a rebentar, os morangueiros já floriram e as sementeiras de há quinze dias já germinaram. 

 
 

Mas é pouco. Queremos uma primavera a sério, com direito a todos os símbolos a ela associados. Queremos ir lá para fora e aproveitar o bom tempo. Enquanto não é possível, as atividades têm de ser outras. Este texto para o blogue, o livro do momento e preguiça. Muito bom ter tempo para a preguiça. E muito raro.

 

quarta-feira, 26 de Março de 2014

Hummus

Este é um daqueles patés para comer sem grande culpa. Muito mais saudável do que os habituais, que levam maionese e outros molhos calóricos. Este leva grão e azeite e outras coisas boas para a saúde. Apesar de ter nome de esterco, como diz o meu marido, é muitíssimo saboroso. 
Apresento-vos a minha versão, adaptada de uma do Nigel Slater. 

Ingredientes:
400 g de grão de bico (com um pouco de água)
2 colheres (de sopa) de harissa
2 colheres (de sopa) de sumo de limão
1 colher (de chá) de cominhos moídos 
 1 colher (de chá) de coentros moídos
2 dentes de alho
3 colheres (de sopa) de azeite
1 pitada de pimenta de caiena
sal q.b.

Colocar tudo num robot de cozinha e triturar. Simples, não?


Fonte: Adaptado de Real Fast Food, de Nigel Slater

domingo, 23 de Março de 2014

Mais do mesmo

Não é possível contornar as repetições. Não num blogue que tem a comida como tema central. Não se esse blogue mostrar, de forma natural, aquilo que cozinhamos no nosso dia a dia e não o que é feito apenas a pensar em mais um post. Há pratos que repetimos e pronto. E há dias em que apetece regressar a esses pratos de sempre, que conhecemos tão bem. E, se temos um blogue e apetece fotografá-los, fazemo-lo. Mesmo arriscando-nos a fazer mais do mesmo.
Mais um post de frango assado. Mais um post a falar do quanto a cozinha é relaxante. E do quanto um assado conforta em dias frios (ainda) de inverno. E de como nos sentimos bem só de olhar para um forno iluminado por um frango. É assim. Por mais que a cozinha às vezes possa ser uma aventura, há dias em que apetece o assado clássico, parecido com aquele que já fizemos tantas e tantas vezes. 
No fundo, é como a vida. Às vezes, apetece aventura, conhecer lugares e pessoas novas, de preferência bem longe de casa. Outras, apetece o aconchego da nossa mesa, o convívio com a nossa família e os amigos de sempre. Em ambos os casos, é uma questão de segurança. É que as aventuras nem sempre correm bem. As da cozinha e as outras.

Frango assado com paprika fumada


Ingredientes:
1 frango do campo
1 colher (de sopa) de paprika fumada (se não conseguir arranjar esta, pode usar a mais comum.)
2 colheres (de chá) de puré de alho assado (se não conseguir arranjar, substitua por dentes de alho triturados ou, se preferir, asse os dentes com a casca e reduza-os a puré)
2 colheres (de sopa) de manteiga amolecida
sal
1 raminho de tomilho

Preparação:
Sequei o frango, com papel de cozinha. Separei a pele e coloquei raminhos de tomilho entre a pele e a carne.
Num almofariz, misturei a parika, o puré de alho, a manteiga e o sal. Esfreguei o frango, incluido o interior, com esta mistura. Atei as pernas com fio de cozinha.
Coloquei uma cebola, cortada em rodelas, no fundo do tabuleiro e reguei-a com azeite. Sobre esta cama, coloquei o fango e levei-o ao forno a 190 graus, durante 90 minutos.


 

Entretanto, preparei as batatas:
Para três pessoas, lavei 9 batatas pequenas. No almofariz, misturei 1 colher (de chá) de pimenta rosa em grao, 4 dentes de alho, 1 colher (de sopa) de salsa, 2 colheres (de sopa) de parmesão ralado na hora, 2 colheres (de sopa) de azeite e sal. Envolvi as batatas neste molho e coloquei-as no forno, juntamente com o frango. 
 

segunda-feira, 17 de Março de 2014

Quase primavera

A primavera está a chegar. E não é só o calendário que o diz. Os dias estão mais longos e as temperaturas mais amenas. As árvores rebentam, em folhinhas verdes e viçosas. Já apetece passear pelo jardim. A contemplação de dentro para fora já não nos satisfaz. Queremos mexer na terra. Prepará-la para a próxima estação. 
Ontem, tivemos uma tarde de domingo cheia de luz. Andámos pelo jardim. Semeámos flores, plantámos framboesas. Espreitámos as sementeiras da véspera. Aproveitámos o sol, cheios de saudades. Colhemos lavanda e boninas. Fizemos um ramo. Enfeitámos a cozinha. E apanhámos minhocas e bichos de conta. E ajudámos o Manel a preencher os "Bilhetes de Identidade" dos bicharocos (trabalhos de casa destes até são divertidos :). Para o lanche, e a pedido, bolinhos de arroz, iguais aos que comêramos na pastelaria há uns dias. Deixo-vos as fotos. A receita está no Receitas ao Desafio.




sábado, 15 de Março de 2014

Bacalhau com grelos e batatas a murro. E uma sementeira.

Já tinha saudades de ser a horta a decidir o jantar. Hoje, foi o passeio do final da tarde, depois de ter andado a fazer as sementeiras de primavera, que serviu de mote para este jantar. Os grelos que despontavam no meio das couves verdes e viçosas sugeriram que o jantar fosse bacalhau. Aos dois ingredientes de honra, foi só juntar azeite do bom, muito alho e batatas novas, com aquela casca ainda muito de aproveitar. O resultado foi um jantar bem nosso, a fazer lembrar os Natais no Norte, em casa dos meus sogros. 

 

Bacalhau com grelos e batatas a murro 
Ingredientes para nós os três:
2 postas grandes de bacalhau
2 cebolas de rama, cortadas em rodelas (incluindo a parte verde) - pode substituir por cebola
1 molho grande de grelos
Uma quantidade generosa de azeite de boa qualidade
2 cabeças de alho
3 batatas por pessoa
sal e pimenta


Preparação:
Lava-se as batatas, salpicam-se com sal, e assam-se, a 200 graus, cerca de 45 minutos, dependendo do tamanho.
Coze-se o bacalhau e parte-se em lascas. À parte, coze-se os grelos al dente.
Leva-se ao lume 1 cabeça de alho, esmagada, e azeite. Junta-se os grelos e deixa-se saltear. Se for necessário, acrescenta-se azeite.
Faz-se um refogado com a cebola de rama, a outra cabeça de alho (os dentes picados) e azeite. Junta-se o bacalhau, em lascas, e deixa-se refogar. 
Retira-se as batatas do forno, limpa-se o sal, dá-se-lhes um murro e juntam-se ao bacalhau. Deixa-se cozinhar mais um ou dois minutos. Serve-se o bacalhau com os grelos salteados.

E agora, uma amostra da nossa coleção primavera/ verão 2014:


segunda-feira, 10 de Março de 2014

Uma entrada de verão, num sábado de inverno

Esta é daquelas entradas para comer sem cerimónias. Nada sofisticada. Muito colorida e saborosa. É daquelas que os convivas vão comendo da mesma taça, enquanto bebem um copo de vinho ou outra bebida fresca. É uma entrada bem disposta, com ar de verão. Cá em casa, foi comida pela primeira vez no Carnaval, trazida pela minha amiga Christine, e pela segunda, no passado sábado, já feita por mim. Uma entrada que sabe a verão, com ingredientes daquela estação, mas que apeteceu comer num dia frio de inverno, em que até granizo houve. Gracias, Christine ;)

Creme Mexicano 

Ingredientes:
2 pacotes de queijo-creme (usei de ervas)
200 g de miolo de camarão ou delícias do mar (usei miolo de camarão)
2 colheres (de sopa) de maionese
sumo de 1/2 limão
1 frasco de molho de tomate picante ou molho chili (calvé ou heins)
1 pacote de queijo mozzarella ralado
1/2 pimento vermelho e 1/2 pimento verde, cortados em cubos pequeninos
1 tomate maduro, cortado em cubos pequeninos
azeitonas pretas (não tinha, usei verdes), cortadas em rodelas

Preparação:
Num prato de vidro, coloca-se os ingredientes pela seguinte ordem:
Bate-se o queijo-creme com a maionese e o sumo de limão e cobre-se o fundo do prato.
Coze-se o miolo de camarão em água e sal e coloca-se sobre o preparado anterior.
Cobre-se com molho chili ou de tomate. 
Coloca-se por cima o queijo ralado, os pimentos, o tomate e as azeitonas. 
Vai ao frigorífico.
Serve-se com tostas ou tortilhas de milho.


domingo, 2 de Março de 2014

Sábado Gordo

Não, o tempo não deixou. Realmente, foi arriscado fazer uma sementeira em novembro. Mas nunca se sabe, às vezes os nossos invernos são amenos. Não foi o caso deste. A sementeira de novembro não resisitiu às intempéries. Depois de ver os estragos, lá pusemos na terra mais umas sementes. Entretanto, vento e chuva durante muito tempo. E a horta ficou esquecida, entregue à sua sorte.
Ontem, fez sol. Um Sábado Gordo de primavera, ameno e soalheiro. Depois de uma visita à Biofontinhas, cheguei a casa inspirada, com vontade de mexer na terra. Encontrei um canteiro cheio de ervas daninhas, que abafavam as cenouras que tinham resistido ao inverno. Arranquei-as, com a ajuda do Manel e do meu pai. E desbastei as cenouras, para que as restantes medrassem.


Quem ficou feliz foi o Serafim, que foi presenteado com mini-cenouras muito docinhas.

Antes do trabalho, o almoço. Uma frittata, feita com os ovos especiais das galinhas do Avelino, alimentadas só de aveia e plantas biológicas. Foi só juntar o que havia no frigorífico e em pouco tempo havia comida na mesa. Para decorar, pétalas de flores comestíveis, que trouxe da minha visita matinal. 

Frittata de aproveitamentos  
e ovos especiais ;)
 
Ingredientes para dois:
4 ovos
restos de legumes (batata cozinha, cortada em rodelas, brócolos e couve-flor)
2 cebolas de rama, cortadas em rodelas
100 g de bacon
salsa
sal e pimenta

Preparação:
Liga-se o forno no programa grill.
Numa frigideira que possa ir ao forno, salteia-se o bacon na própria gordura. Adiciona-se a cebola de rama e deixa-se cozinhar, em lume brando. À parte, batem-se os ovos, temperam-se com sal e pimenta. A estes, mistura-se os brócolos, a couve-for, a batata e a salsa. Verte-se a mistura sobre o bacon e cebola e deixa-se cozinhar, em lume brando. Quando a parte de baixo estiver cozida, coloca-se a frigideira no forno, para que a frittata acabe de cozinhar.
Desejo a todos um bom Carnaval. Se desejarem conhecer uma iguaria típica minha ilha, deixo-vos estas duas versões das tradicionais "filhoses" de forno:

http://maisacrequedoce.blogspot.pt/2012/02/terceira-inteira-e-um-palco.html


 http://receitasaodesafio.blogspot.pt/2013/02/filhoses-de-forno.html



quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

Domingo à tarde

Domingo à tarde. Inverno rigoroso. Manuel doente. Quarto dia de reclusão. Filmes, jogos, pinturas, mais filmes, mais jogos, mais pinturas e mais brincadeiras inventadas para evitar mais filmes e mais jogos. Manel, e que tal se fizéssemos bolachas? Siiiiiiim! E lá fomos para a cozinha, encher as mãos e a bancada de farinha e de massa. Enchemos uma caixa de bolachas. E, pelo menos durante aquelas horas, o trabalho foi manual, sem recurso a máquinas nem ecrãs, e trabalhou-se com os dedos todos. E sujámo-nos e divertimo-nos com matéria-prima tão básica como farinha, manteiga e açúcar. E ficaram saborosas, as nossas bolachas simples, feitas para evitar uma tarde inteira de tecnologia.

Bolachas de baunilha
500 g de farinha
250 g de açúcar
250 g de manteiga
1 pitada de sal 
3 gemas
1 colher (de chá) de extrato de baunilha
1 colher (de chá) de chocolate em pó (opcional)
100 ml de leite 

Numa tigela, misturei a farinha, o açúcar e uma pitada de sal. Verti as gemas no meio e misturei-as com um garfo. Acrescentei a manteiga, previamente derretida em banho-maria, e amassei, com as mãos, até obter uma massa homogénea e suave. A receita original (a que acompanhava o dispara-biscoitos) não leva leite, no entanto, achei a massa impossível de trabalhar. Fui acrescentando leite, até achar que a massa estava maleável (no total, usei 100 ml). 
Forrei um tabuleiro com papel vegetal, coloquei a massa na máquina e formei as bolachas, conforme as instuções.
Levei ao forno, a 180 graus, cerca de 15 minutos, dependendo do tamanho das bolachas (convém ir vigiando). Com metade da massa, o Manel quis fazer bolachinhas de chocolate. Fiz-lhe a vontade, acrescentei uma colher de chocolate em pó e voltei a amassar.



sábado, 22 de Fevereiro de 2014

Cocooning

O desejo de pera com chocolate pairava há dias. Apetecia-me uma coisa que pudesse ser guardada. Que não fosse efémera como um bolo. Queria uma coisa que se prolongasse. Quatro peras tristes, a envelhecer na fruteira. Mais um sábado chuvoso. Os dois homens doentes. Nós os três, no nosso casulo. E os gatos, que procuram, languidamente, um cantinho do sofá, junto à lareira. As cortinas abertas deixam ver um jardim encharcado. Não as fecho. Apesar dos excessos deste inverno, ainda continuo a ver beleza num jardim verde e despido. E, principalmente, no contraste entre o frio que faz para lá dos vidros e o calor da nossa sala. A sensação de que ninguém nos incomoda. O Manel joga Indiana Jones na Playstation. Ao ouvir a música, o pai comenta que está com saudades dos filmes. Quem sabe, hoje ao serão? A vida é boa. Apesar de tudo.


Compota de pera rocha com chocolate

  
Ingredientes para um frasquinho (para quantidades maiores, multiplicar as doses):
4 peras rocha
sumo de 1/2 limão
2 colheres (de sopa) de açúcar baunilhado (usei caseiro: num frasco cheio de açúcar, ir colocando as vagens de baunilha que usamos nas nossas receitas. Simples, não?)
25 g de chocolate (com 70% de cacau)

Preparação:
Descascar as peras e cortá-las em pedacinhos. 
Levar ao lume a pera, o açúcar e o sumo de limão e deixar cozer, em lume brando, até atingir a consistência desejada. Retirar do lume e juntar o chocolate, cortado em pedaços pequenos. 





terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

O rei dos chutneys: chutney de manga

Um frasquinho deste chutney pode ser a salvação num dia em que há pouco tempo para confecionar uma entrada. Perfeito para acompanhar umas chamuças, a abrir um jantar de inspiração indiana.


Ingredientes:
900 g de mangas, descascadas, descaroçadas e cortadas em pedaços
1/2 colher de chá de sal
225 g de maçãs, descascadas
300 ml de vinagre
200 g de açúcar
1 cebola, picada
1 dente de alho, esmagado
2 colheres de chá de gengibre ralado


Preparação:
Com uma faca afiada, corte a manga em pedaços e coloque-os numa tigela. Salpique com sal e reserve, enquanto prepara as maçãs. 
Corte as maçãs em quartos, remova os caroços e descasque-as. Corte-as em pedaços grosseiros.
Leve ao lume o vinagre, o açúcar, as mangas, as maçãs, a cebola, o alho e o gengibre e deixe ferver, mexendo de vez em quando.
Baixe o lume e deixe cozinhar durante cerca de uma hora, mexendo ocasionalmente, até que o chutney tenha atingido uma consistência pastosa, sem excesso de líquido.
Coloque o chutney em frascos esterilizados. Guarde-o num local fresco e escuro e espere pelo menos duas semanas antes de o consumir. 

Fonte: The complete book of preserves & pickles, de Catherine Atkinson e Maggie Mayhew


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha fotografia
Na casa dos trinta. Casada. Professora. Um filho. Dois gatos. Dois cães.